22 jul 2021
 Por 
Blog do Seridó
 às 
16:39min. 
 em 
‘Não é de se espantar que líder populista queira suas próprias regras para disputar as eleições’, diz ministro Fachin

Em meio à polêmica sobre a implementação do voto impresso para as eleições de 2022, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin disse nesta quinta-feira que não é de se espantar um “líder populista” que “queira suas próprias regras para disputar as eleições”. A afirmação foi feita pelo ministro durante evento organizado pela organização Transparência Eleitoral e ocorre após manifestações de Jair Bolsonaro dizendo que sem voto impresso não haveria eleições.

— No Brasil de hoje não é de se espantar que um líder populista se recuse a obedecer as regras vigentes, que queira suas próprias regras para disputar as eleições e que se recuse a ter seu legado escrutinado pela sociedade no bojo de uma eleição política. É disso que se faz a democracia, de eleições periódicas — disse Fachin, sem citar nominalmente o presidente Jair Bolsonaro.

O ministro, que presidirá o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a partir de fevereiro de 2022, também classificou o voto impresso de “pernicioso, antieconômico e ineficaz”. O voto impresso é uma das principais bandeiras de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro e seus apoiadores. Sem apresentar provas, o presidente também faz reiteradas acusações de fraude nas eleições realizadas com as urnas eletrônicas.

Compartilhe:

0 Comentários

Deixe o seu comentário!