24 jun 2012
 Por 
Blog do Seridó
 às 
13:41min. 
 em 
Bactéria encontrada em hospital de Mossoró é de alta resistência

Três hospitais de Mossoró foram contaminados com uma bactéria do tipo KPC (Klebisiella Pneumonie Carbapenemase).
A bactéria é um microorganismo modificado geneticamente em ambiente hospitalar e muito resistente aos antibióticos. O microorganismo foi descoberto em 2000 nos Estados Unidos.
No Brasil foram registrados vários casos em Hospitais de Brasília.

Em Mossoró a bactéria foi encontrada nas Unidades de Terapia Intensiva dos Hospitais Tarcisio Maia e Casa de Saúde Dix-Sept Rosado. Segundo informações a direção teve que fechar as UTI’s por um período de 24 horas para o processo de desinfecção.

No caso do Hospital da Mulher, os resultados dos exames apresentaram que a bactéria encontrada não é da mesma espécie que foi encontrada no Hospital Regional Tarcísio Maia e na Casa de Saúde Dix-Sept Rosado.

As bactérias dos outros hospitais citados são do tipo multirresistente. Já a do Hospital da Mulher é do tipo multissensível, ou seja, diferente da outra ela “morre” com facilidade e não resiste aos produtos aplicados.

O diretor do hospital, Diego Dantas, confirma o óbito de um bebê no início da semana, em decorrência de uma infecção provocada pela bactéria.

Durante o processo de desinfecção da UTI Neonatal, no Hospital da Mulher, os pacientes foram removidos para a Unidade de Cuidados Intermediários, dentro da própria unidade hospitalar.

O processo de desinfecção da Unidade de Terapia Intensiva Neonatal foi uma das séries de medidas preventivas que a direção do Hospital da Mulher tomou devido a um óbito de um bebê na UTI Neo com suspeita de ser pela bactéria.

A causa da morte do bebê também não foi atribuída exclusivamente à bactéria, tendo em vista que o mesmo nasceu prematuro e pesava apenas 800 gramas.

O hospital será vistoriado por uma equipe da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar da Secretaria de Saúde do Estado.

Compartilhe:

0 Comentários

Deixe o seu comentário!