16 jul 2015
 Por 
Blog do Seridó
 às 
09:01min. 
 em 
UFRN desenvolve projeto para diminuir a poluição do ar através da produção de Biodiesel

Quando se fala na produção de biocombustíveis é comum a associação com vegetais oleaginosos como a mamona e o girassol. No entanto, Graco Aurélio Câmara de Melo Viana, professor e diretor do Centro de Biociências (CB) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), tem desenvolvido projeto em parceria com a Petrobras, mostrando que as microalgas obtêm alta produtividade como matéria-prima para biocombustíveis e representam uma alternativa na geração de energia limpa para o Brasil e, principalmente, para o Rio Grande do Norte.

Intitulada “Cultivo de microalgas para produção de biodiesel”, a iniciativa é inédita no nordeste brasileiro e desenvolve a produção vegetal em larga escala na estrutura do Centro Tecnológico de Aquicultura (CTA) – Fazenda Samisa, no município de Extremoz-RN.

A Planta Piloto do projeto ocupa uma área com mais de 3 mil metros quadrados. Em laboratórios comuns, o trabalho é feito em garrafões de até 20 litros, mas os tanques fotobiorreatores do CTA, onde as microalgas são cultivadas, armazenam uma capacidade útil de 4 mil litros. Toda essa infraestrutura gera uma produção de 500 quilos de biomassa por mês, quantidade suficiente para fabricar aproximadamente 2 mil litros de biodiesel.

Compartilhe:

0 Comentários

Deixe o seu comentário!