13 out 2010
 Por 
Blog do Seridó
 às 
11:51min. 
 em 
Sindicato dos bancários do RN é contra o fim da greve

A diretoria do Sindicato dos bancários do Rio Grande do Norte não recebeu bem a nova proposta dos bancos privados e oficiais para acabar com a greve do setor, que já dura cerca de duas semanas. De acordo com a diretora do órgão, Marta Turra, o reajuste salarial médio de 7,5% oferecido pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) “está muito longe de repor as perdas dos trabalhadores do setor”.

“Precisamos de no mínimo 24% de reajuste para repor as perdas acumuladas nos bancos privados desde a implantação do Plano Real. Para resolver o problema dos bancos públicos, seria necessário uma correção ainda maior”, disse Marta. Nesta quarta-feira (13), bancários de todo o país devem se reunir para analisar o documento e decidir pelo fim ou a continuidade da paralisação. No Rio Grande do Norte, o encontro está marcado para as 18h30, na sede do Sindicato dos Bancários.

Além de não concordar com a proposta salarial da Fenaban, Marta também criticou o modo como o órgão lidou com as outras reivindicações da categoria. De acordo com ela, questões como a da estabilidade no emprego, isonomia, contratações e distribuição dos lucros entre os funcionários não foram lembradas. “Nossa opinião é a de não aceitar estes termos e seguir com a greve; mas quem decide isso é a categoria”, comentou.

A sindicalista também comentou a orientação dada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf), que aconselhou, na última segunda-feira (11), que a categoria acatasse as propostas da Fenaban e suspendesse a greve. De acordo com ela, o direcionamento possui motivações políticas. “A Contraf é um órgão governista. Eles estão tentando dar cabo ao movimento para poder se dedicar a campanha da petista Dilma Roussef”, afirmou.

Do Nominuto.com

Compartilhe:

0 Comentários

Deixe o seu comentário!