24 maio 2013
 Por 
Blog do Seridó
 às 
08:06min. 
 em 
Seminário discute promoção da saúde do trabalhador em Caicó‏

Foi realizada na noite desta quinta-feira (23), no Centro Pastoral Dom Vagner, o seminário sobre o controle de absenteísmo e presenteismo nas empresas, que está ligado a promoção a saúde. Estiveram presentes a Secretária Municipal Adjunta de Saúde de Caicó, Maria dos Santos, a técnica do Sesi, Kadidja Palhano e o consultor em responsabilidade social do Sesi, Epitácio Palhano. O evento é uma realização do SESI, SENAI e da Secretaria Municipal de Saúde, através do Centro Regional de Referência em Saúde do Trabalhador (CEREST).

A programação foi desenvolvida em três palestras: “Política de Saúde do Trabalhador”, ministrada pelo técnico do CEREST/RN, Ataildo Souza; “Transtornos mentais relacionados ao trabalho”, proferida pela enfermeira Débora Lemos; e “Lesões por Esforços Repetitivos e Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho” (LER/DORT), apresentada pela fisioterapeuta do CEREST, Juliana Fonseca.

“É bastante importante discutir sobre a saúde do trabalhador, principalmente para que a população possa tomar conhecimento dos seus direitos. A Secretaria Municipal de Saúde, em Caicó, está emprenhada em melhorar e cuidar do nosso trabalhador e, para isso, temos o trabalho que é desenvolvido pelo Cerest aqui na nossa cidade”, disse a Secretária Adjunta em Saúde, Maria dos Santos.

Para o Técnico do Cerest no RN, Ataildo Sérgio, dois pontos são importantes nessa discussão: “enquanto o “absenteísmo” significa a ausência de funcionários em decorrência de problemas de saúde, o “presenteísmo” caracteriza-se quando os colaboradores produzem abaixo de sua capacidade em função de inúmeros fatores, ligados ou não à saúde. Ambos resultam em custos diretos e indiretos, comprometimento de produtividade, competitividade e de qualidade dos serviços prestados”, ressaltou ele.

Pesquisas constatam em todo Brasil que as empresas podem economizar dinheiro implantando programas de prevenção e promoção da saúde do trabalhador. Dois indicadores passam a ser uma questão de sobrevivência nas empresas: o “absenteísmo” e o “presenteísmo”, cada vez mais presentes na discussão sobre elevação dos custos e queda na produtividade das empresas.

Compartilhe:

0 Comentários

Deixe o seu comentário!