04 set 2010
 Por 
Blog do Seridó
 às 
11:40min. 
 em 
Procuradores querem demissão de Agaciel Maia pelos atos secretos do Senado

O Ministério Público Federal (MPF) em Brasília propôs à Justiça duas ações contra os ex-diretores do Senado Agaciel Maia e João Carlos Zoghbi por formarem um “esquema criminoso” no escândalo dos atos secretos. O ex-diretor-geral e o ex-chefe de Recursos Humanos são acusados de improbidade administrativa por esconderem, por mais de 10 anos, decisões administrativas da Casa, como nomeação de parentes de senadores, aumentos salariais e movimentação de servidores.

O MPF entende que o esquema dos atos secretos teve Agaciel como protagonista que, com ajuda de “comparsas”, manipulou a “destinação de cargos da Casa Legislativa conforme interesses seus e de seus aliados”, segundo documento divulgado pelos procuradores. O antigo diretor-geral, que hoje busca uma vaga na Câmara Distrital pelo PTC, é acusado ainda de ter utilizado decisões ocultas para obter prestígio e permanecer no cargo administrativo máximo do Senado por 15 anos.

Um dos objetivos do esquema criminoso apontado pelo Ministério Público era “inviabilizar a atuação do Controle Interno do Senado nos processos que envolviam a implementação dos atos não publicados” por meio da “escassez de servidores lotados no setor”. Zoghbi é apontado como o braço direito de Agaciel. O Correio tentou, mas não conseguiu contato com os dois.

Entre 1995 e 2009, milhares de decisões foram tomadas, mas escondidas pela antiga cúpula administrativa do Senado. No total, foram 1.131 atos secretos. A fraude das decisões chegou ao ponto de ser tão grosseira que o Correio mostrou, na época, que os buracos na numeração dos atos chegavam até ao Diário Oficial do Senado.

Do Correio Brasiliense

Compartilhe:

0 Comentários

Deixe o seu comentário!