16 nov 2010
 Por 
Blog do Seridó
 às 
16:25min. 
 em 
Prefeitos do Seridó preocupados com o custo de instalação da UPA

Prefeitos, secretários municipais e técnicos da secretaria estadual de Saúde estiveram reunidos nesta terça-feira, 16 de novembro, para discutir alternativas para o atendimento aos pacientes da região Seridó.

Existe uma ação civil pública tramitando no Ministério Público, que exige que sejam retirados da urgência e emergência dos hospitais os serviços de pronto-atendimento, ou seja, os atendimentos básicos de ambulatório. O que deveria acontecer nos postos dos bairros.

Segundo o presidente da Associação dos Municípios do Seridó, prefeito Ivanildo Filho, há uma determinação do Ministério Público, para que seja criada a Unidade de Pronto-Atendimento consorciada, tendo como município pólo Caicó, com apoio governo estadual e federal, e pactuando os atendimentos aos municípios vizinhos.

A intenção é a construção de uma UPA porte II, com capacidade de abranger uma área de 100 a 200 mil habitantes. O prédio seria construído numa área de 1.000 m², com quatro médicos (distribuídos entre pediatras e clínicos gerais) e até doze leitos. O governo federal entra com a contrapartida de dois milhões de reais, para a construção da unidade.

Como os técnicos da secretaria de Saúde ainda não têm o montante que caberia para cada prefeito, será realizada uma nova reunião, para apresentar uma previsão orçamentária.

“Existe a questão das finanças públicas, onde a gente tem que se organizar perante o orçamento do município. E o custo disso é o que está preocupando os gestores da região.

Compartilhe:

0 Comentários

Deixe o seu comentário!