09 jun 2011
 Por 
Blog do Seridó
 às 
02:02min. 
 em 
Manifestantes do Fora Micarla ainda acampam na Câmara Municipal de Natal

Os manifestantes do Fora Micarla continuam acampados no interior da Câmara Municipal de Natal pedindo o impeachment da prefeita. Levaram barracas e outros apetrechos e estão ocupando o prédio onde os trabalhos dos vereadores se desenvolvem.

Alguns edis, como Sargento Regina e Adão Eridan, se pronunciaram dando total apoio aos manifestantes. Reconheceram no entanto, a dificuldade de pedir em plenário o impeachment da prefeita, pela ausência de um fato determinado de corrupção ou falcatrua que possa justificar o pedido.

A saída encontrada pela vereadora sargento Regina de comum acordo com os manifestantes foi a de buscar 15 mil assinaturas e entrar com um PLP, projeto de lei de iniciativa popular, pois dessa forma se conseguirá sua votação em plenário.

Mesmo assim, será muito difícil sua aprovação, pois a prefeita tem 13 vereadores na sua base de apoio e a oposição apenas 8, o que garante a derrota do projeto. De qualquer forma, um projeto de iniciativa popular com tão expressivo apoio, pode ter um desfecho inesperado, avaliam.

As manifestações repetidas que têm ocorrido em Natal demonstram o alto nível de revolta e a insatisfação do povo com a atual administração. As passeatas de protesto sempre contam com grande participação popular, mesmo sendo pacíficas.

Várias já foram realizadas, contando sempre com o trânsito interrompido, faixas, cartazes, apitos e vaias, mas com multidões crescentes em cada uma delas. A atual, essa mais recente, largou da praça cívica, passou pelo Palácio Felipe Camarão, mas em todo o percurso, a polícia apenas acompanhou, sem, em nenhum momento precisar intervir, o que comprova que não houve desordem nem bagunça, durante todo o trajeto.

O acampamento na Câmara Municipal, também se deu e ainda está se dando sem maiores problemas, reforçando o caráter pacífico da manifestação. Com tudo, é bom ter a cabeça no lugar e saber que o afastamento da prefeita dessa forma não deverá ocorrer. Mesmo sabendo que a insatisfação é grande, mas sem um fato determinado que possa suscitar o impeachment, o jeito é dar um tempo e guardar a insatisfação para as urnas na próxima eleição.

Compartilhe:

0 Comentários

Deixe o seu comentário!