18 mar 2019
 Por 
Blog do Seridó
 às 
14:05min. 
 em 
Agricultura, pecuária e exportação estão em crise no Rio Grande do Norte

Rio de Janeiro - Colheita de batata-doce biofortificada, fornecida pela Embrapa para alguns produtores rurais de Magé-RJ alcança boa produtividade. Na foto, o agricultor Laerte Luiz da Rosa (Tomaz Silva/Agência Brasil)

O Rio Grande do Norte chega ao terceiro mês de 2019 com um séria crise em dois importantes setores da economia, que vem se agravando desde os últimos anos. Além dos prejuízos na agricultura e pecuária que somaram R$ 2,5 bilhões em 2018, ocasionados pela estiagem de quase sete anos, agora o RN enfrenta também o fechamento do porto de Natal, que neste mês deixará de movimentar perto de 3 mil contêineres com a decisão da CMA/CGM de suspender sua escala semanal. O cálculo é dos sindicatos de trabalhadores que operam no terminal.

Os principais produtos que estão deixando de ser escoados são as frutas tropicais e minério. Só na primeira quinzena de fevereiro, segundo a mesma fonte, foram exportados pelo terminal 2.538 contêineres, quando teve início a paralisação da companhia francesa.

Para minimizar a crise no setor da agricultura e pecuária, o Governo do Estado decretou pela 13ª vez situação de emergência no RN, por mais 180 dias, situação de emergência por causa dos efeitos da seca em 148 dos 167 municípios do estado. O total representa 88% dos municípios potiguares.

Compartilhe:

0 Comentários

Deixe o seu comentário!